E o corpo inteiro como um furacão...

terça-feira, 27 de julho de 2010

Boca, nuca, mão e a tua mente não.

Guardei sem ter porquê...

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Simplesmente genial.

Aos meus amigos

terça-feira, 20 de julho de 2010

Como disse o célebre Mário Quintana “A amizade é um amor que nunca morre”. É que a amizade, entre os tipos de amor, é o amor em forma de leveza. Sem a loucura da paixão. Sem o desespero do desejo. Sem as dores dos amores não correspondidos. Sem a ansiedade dos amores platônicos. Sem a desilusão pelos amores desfeitos. Sem a mágoa pelo coração partido. É o amor que se doa, sem cobranças. Aquele no qual a gente gosta “de graça”. É o amor em tempo presente. Não importa o que aconteça, ele está lá. É o amor que sente saudades, de um jeito tranqüilo. E explode no abraço mais apertado de todos os abraços, porque você até beija um desconhecido, mas um abraço, a gente guarda só pra quem a gente quer bem. Porque o abraço, considerando que o corpo fala, é o momento em que ele diz: Vem cá. Estou aqui, inteirinho pra você. Ao abrir os braços pra envolver alguém, você traz essa pessoa pra mais perto do teu coração. É aquela “querênciagostosa. Os amigos não brigam por coisas pequenas. E até brigam, mas logo passa. Eles não reclamam nem mesmo quando você se esquece de ligar no dia do aniversário. Eles até podem reclamar, mas certamente não vão jogar isso na tua cara pro resto da vida, como prova de desamor. Os amigos não perdem nenhum minuto do tempo em que estão juntos, que lhes é tão precioso. É com os amigos que você dá as melhores risadas. E a gente ri de tudo, até das nossas próprias desgraças. É com os amigos que você fala bobagens. Eles não te censuram. Embora nem sempre concordem com o que você fala ou faz. Com os amigos você não precisa fazer tipo. “O amigo é aquele com quem falamos de tudo como se estivéssemos falando conosco mesmos.” Eles reconhecem de longe aquele dia em que você não está muito bem, e respeitam isso. Limitam-se a perguntar: “Quer conversar sobre o assunto?”. E a negativa não é vista como rejeição. Porque eles sabem que quando for necessário, você não hesitará em procurá-los. O silêncio entre os amigos nunca é constrangedor. É mais uma pausa pra respirar, ou pra refletir. É verdade, os amigos são aqueles a quem escolhemos pra tornar a vida mais alegre. Em meio a uma selva, com várias tribos, os amigos, aquela família que a gente escolheu ter, defendem e atacam em bando, porque até na hora de criticar uns aos outros, já que isso também faz parte, eles fazem com a sutileza (tá bom, às vezes, nem tanto) e a preocupação própria de quem só quer o bem. Afinal, é como dizem: eles sabem tudo ao teu respeito e mesmo assim gostam de você. Porque os amigos são aquelas pessoas que surgem no caminho pra tornar essa longa jornada mais divertida. Eles são teu apoio nas horas difíceis, de angústia e desespero, é verdade, mas principalmente, são aqueles que estão ao teu lado, pra ver aquela paisagem inesquecível, com o sol das quatro da tarde, o mar, o céu azul, o vento soprando, ou um disco voador, no céu, a noite, depois de uma garrafa de vodka. Enfim... Os amigos são aqueles que estarão do outro lado da linha, quando acontecer uma daquelas coisas que só acontecem na tua vida, que você precisa urgentemente contar pra alguém. Aos meus amigos, que bom que temos os 365 dias do ano, 366 quando é ano bissexto, pra comemorar o nosso dia. Amo vocês.

DESAMOR

sábado, 17 de julho de 2010

por andré muhle

"Não vejo mais graça naquela sua calcinha que de tão velha era cheia de bolinhas de algodão. Eu dizia que achava sexy, verdade.
Mas só agora vejo que isso não faz sentindo nenhum.
Também não acho que Vinícius escreveu aquele poema pensando na gente. Como?
Se ele morreu antes mesmo da gente se conhecer?
Era ridículo pensar assim.
Não acredito mais que nosso amor venha de vidas passadas.
Até porque nem em vidas passadas eu acredito mais.
Amelie Poulin não é um dos meus filmes preferidos porque foi o primeiro que a gente assistiu junto no cinema.
Ele seria bom mesmo se eu tivesse ido sozinho.
Não acredito que meu cabelo tenha ficado assim de tanto você passar a noite enrolando com o dedo. Nem acho que seus cachinhos, depois que você lava com aquele shampoo de camomila, fiquem mesmo parecendo fios de ovos.
Isso é bobo, infantil e até mesmo nojento.
Onde já se viu misturar cabelo com comida?
Não acho que Paris só vá ter graça com você.
Pelo amor de Deus, é Paris né?
Eu não penso mais em você quando escuto “Somewhere in her smile she knows That I don't need no other lover”.
Não acho que a lua estava mais cheia naquela noite lá na praia.
A lua é uma só e, sendo assim, tem o mesmo tamanho pra todos.
Nem muito menos acho que você seja a mulher da minha vida.
Uma pessoa só pode ter certeza disso 5 minutos antes de morrer.
E por fim, mas não menos importante,
Eu não acredito mais em você. "


Achei esse texto impresso em meio a um monte de papéis e fiquei me perguntando porque o guardei... Eles sabem demais, sem dúvida.

Infortúnio

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Hoje quis te ver
mas não pude
é que o açude
do meu desejo
não foi bastante
para fazer do distante
apenas perto
para ver que o certo
era só mais uma
alguma possibilidade
amanhã quiçá saudade
hoje você eu quero


(Retirado do blog do Pirauá. http://www.piraua.blogspot.com/
O menino escreve umas coisas bonitas.
Às vezes, uma viagem... bem típica dele mesmo. :)
Adorei o Infortúnio. Recomendo.)

Diálogo

sexta-feira, 9 de julho de 2010

- Você é mulher demais, pra qualquer homem.
- E daí?! De que adianta ser mulher demais, se demais nunca foi o bastante pra ninguém?! Nem pra você.

Muito p*** da vida

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Quer saber do que mais, começando a acreditar firmemente que cada vez mais impera aquela história do faça o que eu digo, não o que eu faço. Porque, e agora pensando num daqueles palavrões clássicos, com CAPS LOCK bem ligado, é muito fácil dizer "Se joga", ou então,"Você tem que se permitir", do alto de uma janela segura, de uma vidinha pacata, de toda aquela comodidade (ou seria comodismo?), que se não ajudam, também não atrapalham. É até egoísta. Como se não fosse imoral, na falta de conceito melhor, a idéia de mandar alguém testar a corda, pra ver se ela é segura, antes que você pule. Agora imaginem vocês, se resolvo "me jogar" todas as vezes que alguém sugerir que o faça. Não. Certamente não haveria mais esses textos tão absurdos pra contar a história. Ainda bem que naqueles três segundos do filtro, que graças ao meu bom Deus, ainda uso de vez em quando, consigo considerar que quanto maior o salto, maior a queda. E mais uma vez, não. Meu coração não é um pote até aqui de mágoas. Ele só é escaldado. Mas, pra ser sincera, vive morrendo de amores. Então, como diria o meu amigo Chico, que me é tão útil nessas horas: ouça um bom conselho, que lhe dou de graça, é inútil dormir, que a dor não passa.

Depois de você...

terça-feira, 6 de julho de 2010

Ela fecha os olhos e pensa que nunca foi assim, nem nos seus melhores sonhos. Ela sente o coração cansado de dar voltas. Mas continua andando, porque tem medo de olhar em volta e perceber que nada mudou. Tudo é igual. O coração ainda bate forte. Quando ele olha, com aquele sorriso. Por alguns infindos segundos, ela esquece de respirar. Porque depois de você a razão perde toda a razão de ser. Porque depois de você todo argumento perde força. Qualquer teoria cai por terra. E a paixão, só essa existe. Porque, como na música, depois de você, os outros são os outros, e só.

Aquele sobre o passado.

domingo, 4 de julho de 2010

O presente é tranquilo quando o passado é visto por uma janela segura.

Senhor!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

É o seguinte: Aquele lance de passar na fila da emoção duas vezes, era tudo brincadeira. Pode começar a diminuir a dose, porque o coração, esse velho e enganador, tá meio cansado, não suporta tanta adrenalina. Uma coisa de cada vez, por favor. Vamos dar um freio. Organizar o coreto. Porque desse jeito nem consigo ver a banda passar cantando coisas de amor. Só um pouquinho de claridade, paz e serenidade. É o que te peço, pra hoje. Tudo bem que, as vezes, fica difícil me agradar. Mas faz aí um esforço, pequeneninho que seja. É só uma questão de manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo.
Ocorreu um erro neste gadget